Aéreas começam a implementar novas regras para bagagens no próximo mês

Aéreas começam a implementar novas regras para bagagens no próximo mês

419
0
deputados

Aéreas começam a implementar novas regras para bagagens no próximo mês

A cobrança pelo despacho de malas pelas empresas aéreas foi liberada pela Justiça no dia 28 de abril. 

A partir do próximo mês, as empresas aéreas vão começar a cobrar para despachar bagagens e a oferecer tarifas com desconto para quem não utilizar o serviço.

A cobrança pelo despacho de malas foi liberada pela Justiça no dia 28 de abril, depois que uma liminar que proibia a taxa foi derrubada.

A partir do dia 20 de junho, a Gol vai oferecer uma tarifa mais

barata para quem não precisar despachar bagagens, chamada de

Light. Já as tarifas com preço normal vão incluir uma franquia de

23 quilos.

Se o cliente que comprou o bilhete da tarifa Light decidir posteriormente despachar a bagagem, poderá pagar à parte.

Nos voos nacionais, será cobrado R$ 30 para despachar uma mala de até 23 quilos, quando adquirida nos canais de autoatendimento e nas agências de viagens. Quem deixar para pagar no balcão do check-in vai pagar o dobro.

A Azul vai disponibilizar a partir de 1º de junho tarifas com até 30% de desconto para clientes que partem de Viracopos, em Campinas, para 14 destinos pelo país e que não despacham bagagens.

Ao optar por essa tarifa, o cliente poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada e, se mudar de ideia, poderá incluir os 23 quilos por R$ 30.

A nova opção será inserida gradativamente para atender a toda a malha de voos da empresa. Os clientes que comprarem a passagem pelo preço normal continuam com a franquia de bagagem de 23 quilos.

A Latam informou que as regras de bagagens da companhia

permanecem inalteradas e que informará oportunamente sobre as

mudanças a seus passageiros nos canais oficiais da empresa.

Anteriormente, a empresa havia anunciado que ainda este ano passaria a cobrar R$ 50 pela primeira mala de 23 quilos despachada pelos passageiros nos voos domésticos.

A Avianca disse que prefere estudar a questão nos próximos

meses para criar produtos tarifários customizados para melhor

atender às necessidades dos diferentes perfis de clientes.

A empresa informa que implementará todas regras aprovadas pela Anac no prazo determinado.

Consumidor

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) diz que as novas regras para o setor podem beneficiar o consumidor e baixar o preço das passagens no país.

Já para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o

desmembramento da cobrança da bagagem e da passagem visa a

dar mais lucro às empresas e não dar transparência.

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta