Executivos fazem delações e Lava Jato terá investigações em 20 Estados e...

Executivos fazem delações e Lava Jato terá investigações em 20 Estados e no DF

183
0
executivos

O ministro do STF Edson Fachin enviou para instâncias judicias inferiores as menções feitas nos depoimentos dos executivos da Odebrecht

Os 77 executivos da Odebrecht que fizeram delação citaram os nomes de muitos políticos e empresários. As investigações sobre os esquemas de corrupção devem se estender em 20 Estados, além do Distrito Federal.

Nesta terça-feira (11), o ministro Edson Fachin, relator do caso no STF (Supremo Federal), autorizou que fossem enviadas para instâncias judiciais inferiores menções feitas nos depoimentos dos ex-executivos do grupo baiano a pessoas que não possuem foro privilegiado.

Apenas a Justiça Federal do Acre, Amapá, Alagoas, Rondônia, Roraima e Sergipe não receberam distribuições relacionadas às delações.

De acordo com a Folha de S. Paulo, 12 governadores serão investigados, nove deles estarão submetidos ao STJ (Superior Tibunal Federal) e três [Renan Filho, de Alagoas, Tião Viana, do Acre, e Robinson Faria, do Grande do Norte] ao STF, por terem parentesco com políticos com foro.

Os TRFs (Tribunais Regionais Federais) da 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Região também irão trabalhar nas investigações.

Além disso, cinco ex-presidentes ainda vivos foram citados nas delações: José Sarney (PMDB), Fernando Collor (PTC), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT).

Os pedidos relacionados a Dilma, Lula, FHC e Sarney -que não

têm mais foro no STF (Supremo Tribunal Federal)- foram

encaminhados pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, a

instâncias inferiores. No caso de Collor, Fachin decidiu pela

abertura de inquérito já que o parlamentar mantém foro no

Supremo por ser senador.

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta