Audiência discute regulação de investimentos dos regimes de previdência de servidores públicos

Audiência discute regulação de investimentos dos regimes de previdência de servidores públicos

282
0
Servidor públicos
Reprodução

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle discute hoje a regulação dos investimentos das reservas técnicas dos regimes próprios de Previdência Social (RPPS) da União, estados e municípios.

“Até o advento da Emenda Constitucional 20, em 1998, a previdência do servidor públicos era entendida principalmente sob o prisma das relações administrativas, sem o conceito de contributividade e equilíbrio financeiro e atuarial”, explica o deputado Alfredo Kaefer (PSL-PR).

Hoje, de acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), há um deficit de R$ 4 trilhões nos RPPS, mas, segundo Kaefer, muitos experts do assunto receiam que esse número esteja subdimensionado. Como estados e municípios respondem solidariamente pelas obrigações previdenciárias, parte desse ônus recai sobre seus respectivos cofres.

Segundo Alfredo Kaefer, a União, por meio da Secretaria da Previdência, vem assumindo o papel do Poder Legislativo, e legislando em prejuízo das entidades de previdência. Um exemplo seria a Portaria 300/15, que classifica os RPPS em limites diferentes dos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

“Apenas essa classificação diferente, por si só, impede os RPPS de atingirem maiores rentabilidades. Enquanto a CVM estabelece como investidor qualificado o ente que tenha patrimônio de até R$ 1 milhão, a Portaria 300 considera investidor qualificado apenas os que tiverem patrimônio a partir de R$ 40milhões”, explica o parlamentar. “A competência para definir a estratificação dos investidores é exclusiva da Comissão de Valores Mobiliários e não do Ministério da Fazenda”, critica.

Kaefer critica ainda a intenção da Subsecretaria dos Regimes

Próprios de Previdência Social de alterar as normas que regem os

investimentos em RPPS. Essas mudanças, segundo o deputado,

limitariam as alternativas de investimentos dos RPPS,

prejudicariam seus rendimentos e retirariam um volume

“estrondoso” de investimentos do mercado de capitais brasileiro.

Convidados

Foram convidados:

– o presidente da Associação das Consultorias de Investimentos e Previdência (Acinprev), Celso Sterenberg:
– o representante da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), José Ferreira Campos Filho; e
– o representante da Confederação Nacional de Municípios (CNM), André Amorim Alencar.
O debate será realizada no plenário 8, a partir das 10h15.

Os interessados no assunto podem participar do debate enviando perguntas, comentários e sugestões por meio do portal e-Democracia.

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta