ESQUENTA GREVE: Professores paralisam atividades por 48 horas

ESQUENTA GREVE: Professores paralisam atividades por 48 horas

377
0
APLB
Reprodução

ESQUENTA GREVE: Trabalhadores em Educação do município de Salvador paralisam atividades por 48 horas.

Com apoio da APLB Sindicato no movimento ESQUENTA GREVE”, os trabalhadores em Educação do município de Salvador vão paralisar as atividades por 48 horas a partir desta quarta-feira, 19.

A paralisação foi aprovada pela categoria em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 18, no Ginásio dos Bancários.

Esta foi mais uma ação vitoriosa da APLB-Sindicato e dos trabalhadores, que

rejeitam a proposta de reajuste zero apresentada pelo Executivo Municipal e

permanecem na luta, mobilizando a comunidade escolar e a população para a

situação de descaso em que se encontra a Educação municipal.

Greve
Paralisação dos professores

Durante a assembleia, foi aprovada uma agenda de atividades da paralisação, que

tem início na manhã desta quarta, 19, às 8h, com uma manifestação em frente à

Secretaria Municipal da Educação (SMED), na avenida Garibaldi.

A APLB convoca todos os trabalhadores a participarem deste ato, que tem o objetivo

de chamar a atenção das autoridades e de pedestres e motoristas que passarem pela

região, por meio da entrega de cartas à comunidade e material informativo.

Já na quinta-feira, 20, segundo dia de paralisação, a categoria volta a protestar na

capital baiana, desta vez na Praça Cairu (Comércio), local bastante utilizado pelo

prefeito ACM Neto para perpetuar sua política do pão e circo.

Lá são realizados eventos de grande porte, em que são gastos milhões do erário público, com o objetivo de desviar o foco dos problemas da cidade.

No mesmo dia, às 15h, a APLB e os trabalhadores saem em caminhada do Campo Grande, com destino à Praça Municipal. O ato contará ainda com a participação de representantes das centrais sindicais e da Frente Brasil Popular.

VEJA O QUE FOI APROVADO NA ASSEMBLEIA:

Manter a rejeição à proposta de reajuste zero do Executivo Municipal;
Realizar caminhada até a Praça Municipal após a assembleia;
Manter o estado de greve;
Realizar paralisação “Esquenta Greve” de 48 horas nos dias 19 e 20 de julho, com as seguintes atividades:
– Quarta-feira, 19 de julho, às 8h: Manifestação em frente à SMED, na avenida Garibaldi;
– Quinta-feira, 20 de julho:
Às 8h: Manifestação na Praça Cairu (Comércio)
Às 15h: Caminhada do Campo Grande à praça Municipal, com centrais sindicais e Frente Brasil popular
Realizar outras atividades de mobilização, entre elas:
– Carreata a ser realizada em um dia de domingo;
– Feira de Denúncias no Dique do Tororó, a ser realizada em um sábado;
– Utilizar as rádios comunitárias, solicitando espaço para falar com a comunidade;
– Realizar reuniões com associações de bairros;
– Realizar aulas de cidadania com a comunidade escolar.

Após a assembleia, a categoria já colocou em prática a agenda de paralisação e fez

uma caminhada pela avenida Sete de Setembro, com destino à Praça Municipal.

Durante o percurso, os cerca de dois mil trabalhadores utilizaram faixas, cartazes,

apitos e contaram com a percussão da banda Tambores de Búzios para conscientizar

a população sobre a luta a favor de uma educação de qualidade.

Na chegada, os representantes da APLB-Sindicato tentaram ser recebidos pelo prefeito ACM Neto para apresentar as propostas e obter uma resposta sobre as reivindicações da categoria, mas tiveram o pedido negado.

Este é mais um motivo para os trabalhadores se unirem em prol dos direitos estabelecidos por lei, que não são concedidos pelo Executivo Municipal. Vamos à luta!

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta