Prefeitura realiza ações para jovens e mulheres no Carnaval

Prefeitura realiza ações para jovens e mulheres no Carnaval

275
0

Centros de convivência e campanhas educativas serão promovidos pela para atender ao público considerado mais vulnerável em eventos de massa que são os Jovens e as Mulheres

Crianças, Jovens e mulheres geralmente são as maiores vítimas em locais de grande concentração de pessoas: seja por violência, por trabalho infantil ou por exploração sexual.

Com a missão de unificar os esforços na luta em defesa desse público, a Secretaria de Política para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), em parceria com a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), vão oferecer abrigos para os filhos dos ambulantes que vão trabalhar todos os dias na folia.

JovensOs espaços vão funcionar 24h e estão instalados nas imediações dos circuitos.

A intenção é dar mais comodidade aos pais e responsáveis, que podem visitar os filhos a qualquer instante.

Nestes locais, meninos e meninas e jovens vão contar com apoio de uma equipe multidisciplinar formada por psicológicos, pedagogos e assistentes sociais, além de seis refeições por dia.

São mais de 200 profissionais contratados e capacitados pela Prefeitura para dar total segurança, estrutura e apoio aos menores acolhidos.

Através de parcerias firmadas com a Federação das Indústrias do

Estado da Bahia (Fieb), a Superintendência Regional do Trabalho

na Bahia e a ONU Mulher, serão oferecidos 400 conjuntos de

roupas e calçados e kit escolar.

A medida é um incentivo a mais para que as crianças possam estudar.

Dentre as atividades lúdicas que integram o projeto dos centros de acolhimento está a oficina supervisionada de brinquedos, em que a própria criança vai construir as peças com madeiras, tecidos e tintas.

Também será promovido o Cirandando Brasil, desenvolvido pela pesquisadora Nairzinha.

O programa resgata, atualiza e devolve a cultura da brincadeira brasileira, promove a integração entre as crianças, fortalece a identidade cultural, oportuniza a troca de saberes interclasses e reforça a autoestima, de forma a contribuir para uma cultura de paz pela brincadeira.

Defesa da mulher – Para o Carnaval de Salvador 2017, a SPMJ lançou a campanha “No Carnaval não vale tudo.


Violência contra a Mulher não é fantasia”. Este ano serão dois temas envolvidos: o primeiro é de combate à violência contra a mulher e o outro é para coibir o turismo sexual.

Serão distribuídos materiais de divulgação alertando sobre os dois assuntos e destacando que praticá-los é crime.

Folhetos, ventarolas, adesivos e cartazes também serão entregues em pontos turísticos, locais de embarque e desembarque, além de hospedarias situadas na região da maior festa de rua do planeta.

Outra é a ação virtual, disparando cards nas redes sociais, para atingir um maior número de pessoas.

“A ideia é justamente levar o conhecimento de que tanto a

violência quanto o turismo sexual são passiveis de processo e

punição. Isto mostra à mulher que ela não está sozinha, muito

menos desamparada”, afirma a secretária Taissa Gama.

Atendimento à Mulher

Aliado a esta ação, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Loreta Valadares, nos Barris, vai funcionar em esquema especial para atender vítimas.

Será oferecido acompanhamento multidisciplinar nas áreas psicológica, social e jurídica, além do pedagógico dispensado às crianças que acompanham as mães.

A Prefeitura disponibiliza, também, a Casa de Acolhimento

Provisório de Curta Duração Irmã Dulce, que atende mulheres em

situação de violência que registraram boletim de ocorrência e

manifestaram a necessidade de se afastar do agressor.

O espaço tem capacidade para abrigar até 30 mulheres por 15

dias. Como se trata de um local sigiloso, o encaminhamento é

feito através da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher

(Deam), com unidades localizadas nos bairros de Brotas e Periperi.

 

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta