Rodoviário é condenado a mais de 20 anos por matar namorada grávida

Rodoviário é condenado a mais de 20 anos por matar namorada grávida

659
0
Rodoviário

Rodoviário é condenado a mais de 20 anos por matar namorada grávida

O Rodoviário não aceitava fim do relacionamento. Segundo MP-BA, foi o primeiro caso de acusado por feminicídio a ir a julgamento.

O rodoviário acusado de matar a facadas a namorada de 18 anos, que estava grávida, na San Martin, em Salvador, em 2015, foi condenado a 20 anos, noves meses e 22 dias de prisão em regime fechado.

Rubervaldo Soares dos Santos Júnior cometeu o crime por não

aceitar o fim do relacionamento com Anaildes dos Santos Lacerda,

que esperava um filho dele.

Segundo o Ministério Público da Bahia (MP-BA), foi o primeiro caso de acusado enquadrado por feminicídio que foi a julgamento na capital baiana.

O crime aconteceu em 8 de abril de 2015, na Travessa Rocha, região da San Martin.

O casal estava junto há um ano quando Anaildes resolveu terminar o relacionamento.

Ela estava em Salvador para estudar, mas havia decidido voltar para Taperoá, de onde era, segundo a irmã.

Com ciúmes e insatisfeito com a decisão, Rubervaldo marcou um encontro com Anaildes e a matou com vários golpes de faca.

Depois, ele chegou a ligar para a polícia informando o crime e

pedindo que socorressem Anaildes. Ele se escondeu na casa da

irmã, em Santo Amaro, no Recôncavo, mas acabou se

apresentando à polícia em abril, quase um mês após o crime.

A condenação aconteceu na última sexta-feira (12). A juíza Gelzi Maria Almeida Souza determinou a pena considerando a qualificadora de feminicídio e adicionando três anos pelo crime de aborto.

Para a magistrada, “uma única ação se desdobrou na execução de dois crimes diversos”.

Crime

O crime aconteceu na residência do casal, na. San Martin; o corpo de Anaildes dos Santos Lacerda foi encontrado por familiares dela, depois de estranharem a demora na resposta de algumas mensagens enviadas por celular.

De acordo com a delegada Mariana Ouais, titular da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), o casal estava junto há um ano.

Rubervaldo, que era funcionário da empresa de ônibus Cidade Sol,

trabalhava na linha Taperoá-Salvador.

Anaildes, era moradora de Taperoá e sonhava em morar em

Salvador para estudar.

Após alguns meses de relacionamento, Rubervaldo, que morava na ilha de Itaparica, alugou o apartamento no bairro da Fazenda Grande do Retiro para os dois se encontrarem.

Anaildes, que costumava ir e voltar para Taperoá, teria feito uma ligação para a irmã, no dia do crime, se dizendo insatisfeita com a vida em Salvador e anunciado a volta ao interior.

Ciumento, Rubervaldo não aceitou o fim da relação, e desferiu

golpes de faca contra a companheira sete vezes, em várias partes

do corpo. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu no local. De

acordo com a polícia, há suspeitas de que a vítima estivesse

grávida.

O corpo de Anaildes será periciado e caso a suspeita seja confirmada, o rodoviário poderá ter um terço da pena de 15 anos de reclusão acrescida à condenação.

Depois de assassinar Anaildes, o rodoviário ligou para a polícia informando sobre o crime e pedindo que prestassem socorro à mulher.

Antes de se apresentar no DHPP, na última sexta (10), ele estava escondido na casa de uma irmã, em Santo Amaro, no Recôncavo.

Rubervaldo foi apresentado à imprensa na tarde desta segunda

(13) e encaminhado à Cadeia Pública, no Complexo Penitenciário

da Mata Escura.

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta