Em meio à seca, Lajedinho enfrenta nova enxurrada após tragédia de 2013

Em meio à seca, Lajedinho enfrenta nova enxurrada após tragédia de 2013

1701
0

Município da Chapada Diamantina sofre com lembranças da chuva que deixou 17 mortos em Lajedinho e mais de 600 desabrigados em dezembro de 2013

Um dos municípios que teve a situação de emergência reconhecida em fevereiro por conta da seca, Lajedinho, na Região da Chapada Diamantina, registrou fortes chuvas no fim da noite desta sexta-feira (31).

O temporal voltou a causar muitos transtornos ao município, que sofre com lembranças da chuva que deixou 17 mortos e mais de 600 desabrigados em dezembro de 2013.

Desta vez, pelo menos 20 famílias ficaram desalojadas. Segundo a Defesa Civil, foram 150 mm em cerca de duas horas, o que representa um volume de chuva esperado para três meses. A chuva começou por volta das 23h.Lajedinho

De acordo com o morador Marcos Antônio, o canal que corta a cidade não suportou a força da natureza, transbordou e voltou a alagar a parte baixa do município.

“Os moradores que nem sequer tinham se reconstruído da tragédia anterior, voltaram a perder geladeira, sofá, as poucas coisas que tinham comprado de lá para cá. Muitas dessas pessoas estão com aluguel social ainda, sem casa própria”, destaca Antônio. Segundo ele, até hoje as casas construídas pelo poder público não foram entregues à população.

Segundo o prefeito de Lajedinho, Marcos Mota (PSD), a prefeitura

trabalha para resolver a situação dos atingidos. “Foi uma noite de

grande tensão, por conta das lembranças do que vivemos em

2013, com a chuva que praticamente destruiu a nossa cidade”,

afirmou.

Além das casas, muitas ruas da cidade tiveram o calçamento

totalmente destruído e foram invadidas pela lama. Ainda de

acordo com o morador Marcos Antônio, a feira realizada aos finais

de semana teve de mudar de local neste sábado (1º).

A prefeitura e a Defesa Civil seguem trabalhando no município,

onde não voltou a chover. A previsão é de tempo nublado e

pancadas de chuva nos próximos dias.

Comentarios

comentarios

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta